segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Análise/Review Controle Brawler 64 [Retro Fighters][Definitiva]

Posted by | outubro 29, 2018

Como prometido, aqui está a analise do controle (depois de muitooos meses)
Caso você tenha interesse em adquirir, deixarei os links no final do post
Esse não é um review pago, os controles foram adquiridos com recursos nossos

Essa é a análise do controle Brawler 64, com a minha opinião completa detalhando o máximo possível tudo sobre o mesmo.


Depois de passar bastante tempo com o controle Brawler 64 (e horas e horas jogando com eles em diversos jogos), finalmente está na hora de fazer uma análise completa do produto, detalhando o máximo possível cada aspecto do controle e do seu desempenho com os games.

Esse review será também uma comparação entre o Brawler 64 e o controle da Nintendo, já que ele [brawler] é uma alternativa, dessa forma, vamos determinar quem é melhor e se esse novo controle vale o investimento, todavia ainda deixaremos uma margem que você, leitor, também possa tomar a sua decisão.

Lembrando que a minha opinião final pode ser um pouco diferente da minha primeira impressão do controle (leia ela aqui).

Embalagem

A embalagem do controle é algo bem simples.

A caixa é bem simples e fina, o design dela lembra vagamente o modelo de caixa do N64 da época, e na parte de trás tem uma descrição do controle e dos seus features exclusivos.


Dentro da caixa conterá um manual bem simples, explicando como usar o controle, os acessórios compatíveis, um pouco sobre a empresa Retro Fighters e alguns nomes dos colaboradores do projeto.







O controle estará em uma base de plástico simples.



Apesar de não ser ruim, compare com a embalagem de outro produto deles, como o do Nes e verá que comparado a essa embalagem, a do Brawler não é tão atraente.
Apesar disso, é uma caixa bonita para se deixar exposta no quarto ou em algum lugar.

Sensação

Ao segurar a primeira vez o Brawler 64, você notará que ele é leve, passando aquela sensação que é um produto barato, mesmo assim para longas jogatinas, esse controle é bom por justamente ser leve, assim suas mãos não se cansam de tanto segurar ele.

A textura do plástico é diferente também, enquanto no controle original era liso aqui é áspero, na primeira vez que eu peguei no controle não notei isso, somente depois, entretanto isso não afetará em nada no desempenho do controle.

Layout/Design



O Brawler 64 tem um layout/design de controle moderno, lembrando bastante controles como o do Xbox e Pro Controller do Switch, na verdade se você ver os outros controles que essa mesma empresa produziu, perceberá que todos compartilham a mesma essência. Isso não é de nenhuma forma ruim, pelo contrário, esse design é muito ergonômico, sendo que se você estiver acostumado com esse tipo de design, se sentirá à vontade com esse controle.

Para quem está acostumado com o controle de 64, em um primeiro momento pode estranhar um pouco, por exemplo, ao jogar o Super Mario 64 eu me atrapalhei um pouco, entretanto isso é algo que você vai se adaptando com o tempo e pode ser superado, agora para quem não esteja acostumado ou não gosta do controle do N64, o Brawler 64 é uma excelente forma de começar a jogar alguns dos jogos.

Todos os botões se encontram em posições boas e de fácil acesso para os dedos (diferente do próprio controle padrão do Switch). O D-pad tem uma aparência diferente, porém ele é bom, e como ele tem um eixo central, isso ajuda a não apegar outra direção sem querer, sendo que para fazer diagonal você realmente precisa querer fazer diagonal, isso mostra como esse D-Pad é bom.

Os botões “C’s” não levemente maiores nesse controle, o que pode ajudar bastante em jogos de luta, ou em jogos de FPS onde o C’s podem ser usados para andar ou mirar.

Os botões B e A são um poucos estranhos, eles são mais baixos que os botões C’s, eles são achatados (no original eles são arredondados), eles estão muitos próximos um do outro e estão desalinhados em relação aos C’s, apesar de eles estarem em um ângulo bom para eles serem apertados, tudo isso faz com que eles sejam, em um primeiro momento, ruins de serem usados. É possível se acostumar com eles, entretanto caso um jogo use os 6 botões em conjuntos, esse design pode ser ruim (como o Mortal Kombat Trilogy). O posicionamento do B e A não é algo que impedirá de jogar, logo é fácil de se adaptar com esses botões.

Os botões Z’s são bons (com ressalvas), nesse controle eles são gatilhos, eles são bem macios de se apertar, ao leve toque eles são ativados, ao serem posicionados tanto no lado direito quanto esquerdo faz com que qualquer pessoa tenha a facilidade de se adaptar ao mesmo. Só que nem tudo neles são perfeito, pelo fato deles serem gatilhos, não é tão fácil apertar eles rapidamente, em jogos como F-Zero X você pode se atrapalhar um pouco ao fazer o toque duplo, acredito que seria melhor manter o Z como um botão comum em vez de um gatilho.

Um dos destaques desse controle é a inclusão da função turbo, que são dois botões localizados na parte superior do controle (acima do botão Start), o da esquerda é para ativar o turbo e o direita para desativar. Apesar dessa função não ser uma novidade em controles alternativos de 64, a inclusão dessa função é muito bem vinda.

No geral, apesar do layout dos botões não serem perfeitos, o layout ainda é bom o suficiente para ser usado e ser “compatível” com a grande maioria dos jogos do N64, para quem está acostumar com o controle original pode sofrer um pouco no começo, algo que é facilmente superável.

Analógico

Chegamos na parte mais importante dessa análise: o analógico!

O Brawler 64 usa um analógico “estilo” moderno, sendo que o topo é emborrachado, enquanto no original era uma peça de plástico com ranhuras, algumas pessoas dizem que o analógico original é muito “escorregadio”, algo que eu não posso confirmar, já que pessoas têm mãos e dedos diferentes além de alguns suarem mais do que outros (no meu caso, não tive problema do analógico escorregar). No geral, o “feeling” com esse novo analógico é bom.

Um detalhe muito importante, foi a inclusão de uma base octogonal, isso foi feito depois dos apoiadores dos KickStarter pedirem para que a empresa o fizesse, isso é bom pois ajudará as pessoas cujo estão acostumadas com esse design (e com os nossos testes). Só tive um pequeno problema de às vezes em vez de dar o comando de direito ou esquerda, estava fazendo na verdade uma diagonal, novamente isso é devido ao posicionamento do dedão e não a culpa do controle.

Vamos direto ao ponto: esse analógico consegue replicar a precisão do original?
Resposta: Não!

Ele é bom para ser usado em todos os jogos?
Resposta: Em alguns específicos não.

Mas eu serei capaz de jogar os games com ele?
Resposta: Sim! (com ressalvas)

Devemos deixar claro que a tecnologia e o modo de como o analógico original do N64 funciona é praticamente impossível de ser recriada com um analógico atual, não será possível obter o mesmo nível de precisão e sensibilidade que o original tinha.

Existe um app de teste de controle, que pode ser usado pelo everdrive, e nesse teste é possível avaliar o analógico de uma forma bem completo, sendo que no final será apresentado para você uma tela de resultado:
(foto do resultado do brawler 64)

Agora compare com o do analógico original:
(foto do analógico original do 64)

É possível perceber que o analógico original forma um octógono, enquanto o do Brawler 64 forma um octógono bem diferente do original, o que isso pode ser significa que esse novo analógico não será capaz de replicar com exatidão os mesmo graus de ângulo do analógico. Bem, isso é bem melhor do que o famoso “analógico estilo Game Cube”:
(foto do resultado do analógico de Game Cube)

Nesse mesmo app de teste é possível testar a precisão do analógico e nele já é possível perceber que o analógico do Brawler não tem deadzone, mas tem uma sensibilidade alta, pois não é possível atingir os mesmo números em ambos analógicos. Nessa mesma tela de resultado, percebam como os valores do analógico do brawler são maiores do que de um analógico original.

(Controle Original do N64 a esquerda e Brawler 64 na direita)

E o como isso se traduz para os jogos?

Em alguns casos, principalmente, onde não é necessário tanta precisão, esse analógico se saíra bem e você não terá problema nenhum, agora em outro casos cuja precisão é chave para ter uma boa performance, talvez não seja a melhores das escolhas.

Exemplo de jogos cujo esse analógico não é tão bom: Super Smash bros, Doom 64, Quake 2, StarFox 64, F-Zero X ... podemos resumir os gêneros em FPS e corrida.

Nos jogos que eu testei, eu não tive muito problema com o analógico em si, mesmo com a sua sensibilidade alta, ainda é possível jogar vários games da biblioteca do N64, somente alguns pequenos jogos cujo a precisão é chave terão problemas e a sua performance será prejudicada.

Então, resumindo, esse analógico não é perfeito! Realmente não é, para quem está acostumado com a precisão de um analógico original, notará que esse novo analógico não é bom, todavia ele ainda é usável e para quem não tem muita experiência com os analógicos, com certeza vai aprovar, no final, isso vai depender de pessoa a pessoa, jogadores mais exigentes com certeza serão o que vão mais reclamar da precisão/sensibilidade do Brawler 64, outros nem perceberão.

Acessórios

Conforme prometido pela empresa Retro Fighters, os acessórios Controller Pak e Rumble Pak funcionam perfeitamente, não tive nenhum problema com nenhum deles, exceto por algumas vezes o controller pak não ser reconhecimento, algo até que normal e basta tirar e replugar para ser normalizado.

O Rumble Pak que eu uso é um modificado cujo não precisa de pilhas, e não houve problemas. Um detalhe legal é que como esse controle é bem leve, a vibração é boa e intensa (no bom sentido, é claro).

Lembrando que esse controle não é compatível com o Transfer Pak, algo que eu nem tentei testar, porém acredito que a empresa não mentiu nesse aspecto.

A trava do controle é torta, nos 3 controles que chegaram estavam assim, algo que não atrapalhou em nenhum momento na fixação do mesmo.

Conforme eu disse nas minhas primeiras impressões, esse controle supostamente é compatível com o adaptador USB de controle de 64 (Mayflash), infelizmente eu não o tenho para poder confirmar isso, seria interesse saber se é possível usar o Brawler 64 com jogos de Pc e com os emuladores em geral.

Abrindo o controle

Nós não somos o ifixit, mas iremos também avaliar o quão fácil ou difícil é abrir o controle e realizar a manutenção.

Para abrir o controle é preciso remover todos os parafusos que estão localizados na parte de trás do controle (cujo são parafusos Phillips, algo que todo mundo deve ter acesso), sendo que dois deles se encontram dentro da porta de expansão (igual era no controle original), contudo é aqui que a facilidade termina.

Ao tentar puxar a parte de trás, você perceberá que os botões “Z’s” atrapalham, é necessário pressionar os dois botões e fazer um pouco de força para remover a parte traseira do controle, isso aparentemente cria uma pressão nessa parte da carcaça, dando a impressão que aquilo pode quebrar.

Depois dessa etapa superada, ainda será preciso remover mais dois parafusos para finalmente poder liberar a placa, a construção dela é simples.

Algo interessante é que as membranas (a parte de silicone que faz contato com a placa) do D-Pad e dos botões C’s são fixas. Além disso, vemos que um dos chips está protegido por aquela famigerada bolha preta (comum em cartuchos piratas), entretanto não pense que isso é algo ruim, algumas empresas usam esse método como forma de dificultar o trabalho de identificação do chip e componentes, e também porque parece ser mais barato.

Também é possível notar que o L e R são uma peça só.

Ao remontar o controle, novamente os botões Z’s vão atrapalham, sendo necessário fazer uma certa força para que finalmente ele se feche novamente, posso dizer que esse controle é muito chata de abrir e fechar, podendo dificultar demais a sua manutenção (ainda mais que é preciso trocar o botão L e R, além que será preciso abrir ele para limpeza eventuais).

Uma experiência pessoal com esse controle foi que um dos fios desprendeu do seu ponto de solda, pois a cola quente não pegou o mesmo. Eu devo dizer que a solda dos fios eram também muito fina e frágil, eu fui obrigado a refazer essa solda. Nesse aspecto, infelizmente o controle pecou, apesar de que não saber exatamente se todos os controles estão dessa mesma forma.

O problema do botão L

O problema do botão está encostando com o analógico não é tão grave quanto algumas pessoas tem dito, não é algo que realmente atrapalhe tanto, o problema existe sim, só que ele realmente não é grave.

Lembrando que a combinação analógico + L no controle original é praticamente impossível, pouquíssimos jogos a utilizam, como o Wave Racer e jogos cujos controles são editáveis, mesmo assim não é algo que possa atrapalhar, infelizmente a empresa Retro Fighters deveria ter notado isso na hora dos testes, pelo menos, eles assumiram o erro e vão prover a peça de reposição.

Futuros lotes do controle não apresentarão o problema.

[Update] Resolvendo os problemas


Depois de algum tempo a empresa Retro Fighters resolveu solucionar alguns dos problemas que os jogadores haviam relatado, a empresa ofereceu a opção de receber os botões novos ou de um cupom de desconto para um novo controle, eu escolhi a primeira opção.


Com isso, no mês de Novembro eu recebi os botões de reposição, sendo que veio: Os botões "A" e "B", O botão "L" e "R" e uma nova carcaça.

A nova carcaça tem algumas diferenças em relação a antiga, primeiro é não possuir o espaço para o motor de rumble (vibração) algo bem inútil para se ter no controle em primeiro lugar, a trava que fica na porta de expansão do controle não está mais torta (o que é bom visualmente) e a etiqueta é um pouco diferente, não se tem mais o número "5555" (que se refere ao número de apoiadores do projeto no KickStarter), o que é uma pena pois esse era um detalhe bem legal e que seria interessante manter na etiqueta da reposição.



No controle antigo, os botões "A" e "B" podiam afundar algumas vezes, não era algo frequente porém pode atrapalhar muito (aconteceu comigo), dessa forma os novos botões são mais altos que os antigos, além de terem esses novos detalhes, cujo ajuda a impedi o afundamento os botões.


O problema do botões "L" também foi resolvido, como se pode perceber na foto abaixo, a Retro Fighters mudou a posição do gancho, assim o "L" e o analógico não encostam mais.

Um pequeno problema que tive foi que um dos botões "C's" não se encaixou perfeitamente na nova carcaça, sendo que precisei usar uma lixa de unha para diminuir um pouco a base dele para assim, finalmente ele entrar, não é nada complicado.

Foi muito legal ver que a Retro Fighters se preocupou em solucionar os problemas relatados, mesmo que não tenha sido todos. Veja abaixo o tutorial que a própria Retro Fighters fez de como abrir o controle (notem que é meio chato abrir e fechar o controle completamente).


Possivelmente as futuras produções do controle já deverão vim com esses problemas corrigidos, então isso só vale para a primeira leva dos controles.

Valeu a pena

Por muito tempo os fãs de N64 estavam querendo uma alternativa ao controle original, por não gostarem do design do mesmo e do analógico cujo com o tempo fica ruim, o controle Hori era, talvez, a melhor alternativa entretanto ele é caro e meio raro, dificuldade as possibilidades dos fãs e jogadores de o terem. O brawler 64 veio ser essa alternativa.

A sua proposta é muito boa, modernizar o controle do 64, com isso faz com que ele seja bom, ergonômico, leve e com um analógico mais durável (com uma base octogonal), contudo por causa de uns pequenos deslizes com o design/layout do mesmo  faz que o controle não seja perfeito.

Ainda sim, foi bom ver que a Retro Fighters se preocupou em tentar resolveu grande parte dos problemas relatados pelos jogadores, com a trocar gratuita das partes em questão, contudo ainda há o problema do Transfer Pak não ser compatível e do cabo ser ligeiramente mais curto do que o controle original (algo que eles tentaram resolver em futuras fabricações do controle).

Apesar disso tudo citado, ele é um controle que ainda é bom para ser usado, por ele ser um controle mais fácil de comprar e mais barato do que o Hori, ele pode ser a alternativa que muitos estavam esperando, sendo que ele também é um bom controle para pessoas que tem um certo receio do controle original e sendo bom para multiplayers para aqueles seus amigos cujo torcem o nariz para o controle original.


Prós:
- Design moderno e ergonômico
- Compatível com o Rumble Pak e Controller Pak
- Ter dois botões "Z's"
- Função Turbo
- Controle é leve
- Os botões "C's" são maiores

Contras:
- Não é compatível com o Transfer Pak
- Cabo ligeiramente mais curto que o original
- O posicionamento dos botões A e B
- O analógico não tem a melhor das sensibilidades
- O botão Z ser um gatilho em vez de ser um botão comum
- O Controle é bem chato de desmontar completamente

Para quem esteja interessado em comprar, é possível fazer o pre-order no site da própria Retro Fighter ou no Castlemania Games (novamente, a N64 Brasil não tem qualquer afiliação com ambas empresas), links abaixo:


https://retrofighters.com/

https://castlemaniagames.com/shop?olsPage=products%2Fpre-orders-go-live-saturday-122-9ampst-retro-fighters-brawler64-gamepad

---

Siga-nos em nossas outras redes sociais:

https://pt-br.facebook.com/n64brasil/https://goo.gl/rqRuvKhttps://www.instagram.com/n64brasil/

Compartilhar este artigo
Google ( 0 )

Comentários ( 0 )

© 2009-2016 N64 Brasil | Template: Yanku-template