segunda-feira, 5 de março de 2018

Entrevista Jim Miskell

Posted by | março 05, 2018

Ano passado foi marcado por ser o aniversário de 20 anos de um dos maiores jogos do N64: GoldenEye 007!

Como forma de comemoração, Jim Miskell fez um filme sobre esse game que tanto amamos e de suas peculiaridades. Eu tive o prazer de poder assistir o filme um dia antes do lançamento oficial. Além disso, Jim foi muito legal em nos conceder uma entrevista e contar um pouco mais sobre o filme e o seu processo de produção. Confiram logo abaixo:



---
Por favor, se apresente.
Oi pessoal, meu nome é Jim, eu sou o roteirista e diretor do “Going for GoldenEye”, um filme que eu mesmo financiei e lancei para os fãs de N64 e GoldenEye pelo mundo.



Qual é a sua história com o N64 e GoldenEye?
Assim como a maioria dos jogadores de N64, GoldenEye está no meu coração, era o jogo favorito da minha infância, eu passei centenas de horas jogando com amigos em casa ou nos intervalos da escola, foi o primeiro jogo em que eu fui bom. Para falar a verdade, eu nunca parei de jogar ele. É o jogo que mudou tudo e na época impressionou o mundo com a sua jogabilidade única, gráficos e, claro, o multiplayer! Eu nunca me esquecerei da primeira vez que eu joguei N64, foi com o StarFox 64 com o Rumble Pak e me chocou, os “loads” eram rápidos, o controle era preciso e também se encaixa perfeitamente nas minhas mãos (ainda sou um grande fã do gatilho “Z” e sinto falta dele). Era outro ano antes de eu conseguir o N64, eu troquei com o meu amigo o meu PlayStation 1 pelo N64 dele com o Banjo-Kazooie, eu definitivamente fiz o melhor negócio! Banjo-Kazooie para mim é ainda um jogo perfeito e provavelmente o segundo game que mais joguei, eu adoro tudo nele, a trilha composta por Grant Kirkhope ainda está grudada na minha cabeça 20 anos depois! Hoje eu tenho quase todos os jogos do N64 cujo pode ser visto no filme no quarto do personagem Ben, na cristaleira, eu tenho por volta de 150 em caixa e os outros “loose”.

 (Os dois primeiros jogos de Jim foram o StarFox 64 e Banjo-Kazooie)

GoldenEye tem muitos jogos hacks, mais recente foi o Goldfinger 64. Você jogou alguns desses hacks? Qual é a sua opinião sobre eles?
Eu não tive a oportunidade de jogar o Goldfinger mas eu assisti o Glenn Plant jogá-lo no canal dele, eu fiquei completamente maravilhado com o quão talentosos essas pessoas são para ter criado uma sequência para GoldenEye, realmente impressionante! Eu também vi recentemente um hack do GoldenEye com personagens do Mario 64, parece muito divertido!

(Um dos hacks mais recentes do GoldenEye)

Quais outros vídeo-games e jogos você gosta?
Atualmente quando eu não estou jogando no meu N64, eu jogo muito The Witcher 3, Zelda Breath of the Wild, Destiny, Battlefield 1, Assassins Creed, Dark Souls 2 & 3, Bloodborne, Nioh e recentemente eu comprei Sonic Mania, esse era o jogo do Sonic que eu estive esperando por 25 anos!

Quais são as suas influências no cinema?
Sendo britânico, eu sou um grande fã do humor seco e sutil como The Office ou Extras que foram escritos pelo Ricky Gervais. Spinal Tap é, em minha opinião, o filme mais engraçado já feito e não tem piadas nele, é tudo sobre fazer o público rir mostrando quão iludidos os personagens no filme são, foi isso que tentei simular quando escrevi o roteiro do “Going for GoldenEye”. Christopher Guest é uma das minhas das maiores influências junto com o Ricky Gervais, isso vem desde minha infância com Rik Mayall. Quando eu assisti o The Office pela primeira vez eu me lembro de rir tanto pela primeira vez na minha vida por causa de um programa de Tv, eu acho que chegar ao ponto de fazer o público se curvar de tanto rir é tão importante quanto rir de alguém, é de se identificar com ele e ver a desilusão deles como pessoa. Eu estava ciente que Ethan no filme seria extremamente valioso nesse ponto, ele pode ser o melhor jogador de GoldenEye de todos os tempos mais o resto de sua vida é uma bagunça! Se gabar sobre ter um índice de 17-1 no GoldenEye em 2017 quando o jogador usual nem mesmo se lembra de GoldenEye, é muito vergonhoso!


(Duas grandes influências para o Jim: Ricky Gervais e o filme Spinal Tap)

Quais diretores você gosta?
Além de pessoas como Rick Gervais, eu amo John Woo, James Camaron, John Carpenter, Sly Stallone, Edgar Wright (talvez, seja o melhor diretor ativo do mundo em minha opinião). Eu tenho que citar George Lucas porque Star Wars foi o filme que me fez amar filmes quando criança.

 (Edgar Wright, diretor britânico responsável pela "Trilogia do Cornetto")

Já assistiu algum filme brasileiro?
O único filme brasileiro que eu assistir foi “Cidade de Deus” que é considerado um dos melhores filmes já feito e por uma boa razão! É uma obra-prima. Eu devo dizer que eu sou um grande fã do futebol brasileiro!



Por que você fez um “Mockumentary” sobre o GoldenEye? Por que um “Mockumentary”?
Nota do tradutor: Mockumentary seria um filme ou documentário que mostra fatos ou acontecimentos que nunca aconteceram, apresentando-os de forma séria como se eles realmente tivessem acontecidos.
Essa é uma ótima questão. A verdade é que eu simplesmente achei que se encaixaria perfeitamente fazer um mockumentary sobre jogadores de video-game, até onde eu sei, isso nunca foi feito(?). Eu nunca estudei filme ou direção, então foi um grande trabalho em fazer esse filme sem experiência, foi um milagre que tudo deu certo! A coisa que amo em mockumentary é se tudo for bem feito o público é enganado a achar que é real, há momentos em GFG onde eu acho que é real e mesmo que eu tenha feito o filme, eu às vezes assisto e “wow”, acho que aquilo realmente aconteceu! Especialmente na parte do campeonato mundial, eu acho que o elenco e a equipe fizeram um ótimo trabalho. De novo, como eu falei antes que fazer o público se curvar (de tanto rir) é importante, que isso mostra que eles compreendem que os personagens não são ‘deslocados ou divertidos’, eles são pessoas cujo tem falhas, há algo fascinante, para mim, em alguém que não é perfeito tentando convencer as pessoas que eles não são, o que é bem óbvio, Ethan e Ben especialmente são personagens imperfeitos, que estão vivendo na glória do passado que é interessante para mim como escritor.

(Ben, o personagem principal do filme)


Como foi a produção do filme?
A produção foi extremamente difícil já que eu tive que filmar tudo em só em 3 dias, ninguém na equipe acreditava que isso era possível, mas eu e minha esposa planejamos minuciosamente cada cena, assim nós poderíamos filmar uma cena e ir para outra o quanto antes. Nós não tivemos ensaios o que não é ideal, uma noite antes de nós começamos a filmar nós fizemos uma leitura do roteiro com o elenco com algumas cervejas (Eu acho que a performance atrapalhada de alguns ajudou a fazer os diálogos ficassem mais orgânicos e natural do que algo ensaiado), eu pratiquei com os atores o máximo possível pelo Skype, especialmente com o Daniel Bruce que fez o Ethan já que queríamos que o Ethan fosse o mais antipático possível, quando na vida real Daniel é uma das pessoas mais legais do mundo! Ele fez um ótimo trabalho como Ethan, eu acho que todos podem concordar nisso! Nós só tínhamos 3 lugares para filmar, um hotel para o campeonato mundial de GoldenEye, minha casa e a parte de fora como sendo a casa do Clive. Eu acho que nós fizemos um ótimo trabalho em esconder esse fato que foi filmado em praticamente em dois lugares. O principal problema da produção foi escrever, filmar e editar para que ficasse pronto para ser lançado no aniversário de 20 anos do GoldenEye, faltando 2 meses. Eu editei o filme, então eu não fiz pausas, eu sou sortudo em ter uma esposa compreensiva!
(Daniel Bruce como Ethan, um dos elementos mais importantes dentro do filme)

Qual foi as principais dificuldades durante as filmagens?
A principal dificuldade foi a minha total falta de experiência, eu não sabia o que estava fazendo e tive que me esforçar ao longo do caminho, com a ajuda do talentoso cineasta Mark Duggan cujo me deu muitos conselhos e dicas ao longo da produção. Sem Mark o filme não teria sido feito, ele foi muito importante no processo de filmagens. Dirigir é um interessante trabalho de como confiar nas outras pessoas em fazer a parte delas, a maioria dos takes na versão final não são o que eu inicialmente queria, mas um ator propôs uma fala aqui ou eu gostei de algo que aconteceu espontaneamente que combina com a narrativa. A outra dificuldade é eu tinha quase 40 pessoas de uma só vez me perguntando o dia todo enquanto eu tentava focar na próxima cena, então balancear isso e tentar ser útil com os atores, time e os outros artistas foi extremamente desafiante.


Você fez um pouco de tudo no filme (roteiro, direção e edição). Quais são as vantagens disso no filme?
É verdade, eu escrevi o roteiro, dirigi, produzi, fiz todos os acessórios e figurinos, escolhi o elenco, editei o filme e o benefício disso é que é um filme com a visão de uma pessoa. Quando eu escrevi o roteiro eu sempre procurei que fosse uma verdadeira carta de amor ao GoldenEye não dizendo “GoldenEye é incrível” mas lembrando as pessoas o quão estranho algumas coisas no game são, a Klobb, a animação do personagem agachado, atirar no pinto dos guardas, odiar as pessoas que jogam com o Odd Job, todas essas coisas que as pessoas podem ter esquecido que me mantiveram rindo durante a criação do roteiro. Mesmo a piada sobre o pó branco que sempre está na base do analógico que me faz rir porque todos os controles tinham (haha). Eu acho que nós vivemos em uma grande “temporada de verão” de filmes que se parecem os mesmos porque eles são escritos por um comitê baseado em uma pesquisa de mercado do que a audiência acha que quer. A beleza do meu filme eu acho é que eu o fiz para me fazer rir, o que é verdade, eu amo o filme e ver outras pessoas comentando no filme no YouTube que conseguem entender as piadas e referências me faz feliz e todo o trabalho vale a pena! O fato que você do Brasil de uma cultura completamente diferente e de um mundo diferente do meu pode se relacionar com a mesma piada sobre GoldenEye é absolutamente fantástico e o que o filme faz é justamente isso. E é isto que faz com que todo o trabalho em realizar o filme valha a pena.

(De onde veio esse pó?)

Quais são as suas cenas favoritas?
Ótima pergunta, minhas partes favoritas são as cenas de drama que conduz a narrativa como se esse fosse um documentário sobre o jogo, eu não acho que seria muito interessante e não se destacaria dos outros documentários cujo se baseiam nas mesmas informações do jogo. A cena que nós conhecemos Ellie quando ela esbarra no Ben e eles estranhamente conversam antes que Duncan entre na cena é facilmente a minha favorita por ter uma dinâmica legal acontecendo, é também uma forma de terminar perfeitamente onde nós temos os 4 jogadores na final cujo todos tem um tipo de rixa com o outro e precisam resolvê-la. Outras cenas que eu amo são todas as cenas com Ethan e Cher, Cher foi o personagem mais divertido de escrever como um personagem ridículo e não resisti em escrever alguns trocadilhos pervertidos para ela que na hora da première fez todos morrerem de rir! Existem também muitos easter eggs e referências a Rare e o N64 escondidos no filme, os óbvios são os nomes dos personagens que é um tributo das pessoas que fizeram o jogo. Então Alana K. Hope é uma homenagem a Grant Kirkhope, Graeme Norgate que fez parte do time me twittou dizendo que ele ainda estava rindo de alguns easter eggs dias depois de ele ter assistido o filme, isso fez o meu dia.


O que você aprendeu depois de terminar o filme?
Outra ótima pergunta, uma coisa que eu aprendi e que continuará comigo é que na première as pessoas amaram o filme, não só os gamers e os fãs do N64 que participaram. Por causa da narrativa que tinha um pouco de tudo para todos curtirem. A cereja do bolo foi as piadas internas dos donos de N64. Você sempre se preocupa quando escreve comédia “as pessoas vão rir?” então ouvir mais de 200 pessoas rindo no cinema foi um grande alívio.

Você tem planos para lançamento físico (como DVD ou Blu-ray)?
O filme foi abordado pelo Netflix e Hulu, o engraçado foi que isso aconteceu no 20º aniversário do lançamento do jogo então esse poderia ser um bom sinal! Eventualmente estará disponível no iTunes e Amazon mas, com toda a sinceridade, eu fiz o filme para os fãs e quero que as pessoas assistam o filme de graça. Várias pessoas já me perguntaram sobre isso se podem comprar o Blu-ray ou DVD, então talvez seja feito uma tiragem pequena, se eu o fizer eu quero esperar até poder fazer um ótimo lançamento, cheio de comentários e com informações de por trás das câmeras.
Nota do tradutor: o filme será lançado em Blu-ray esse ano nos EUA.


Nós temos visto que a cena independente tem crescido bastante nos últimos anos. Quais as consequências disso? Isso ajuda?
Outra ótima pergunta, eu acho que o fato de qualquer ter a possibilidade de fazer o filme graças às câmeras do iPhone tem sido ótimo, é bom e eu recomendo que alguém que queira fazer filmes que o faça! Eu filmei algumas coisas com o meu iPhone para o filme e todas as cenas antigas de VHS são filmagens do meu celular também.


Qual é o seu Bond favorito? E qual filme?
Tem que ser o Pierce Brosnan, eu ainda acho que o GoldenEye é o melhor filme do Bond sem sombra de dúvida! É fantástico e os efeitos, ação e cenários estão ótimos ainda hoje! Qualquer filme com o James Bond dirigindo um tanque nas ruas de uma cidade tem o meu voto!


Você tem algum projeto futuro?
Várias pessoas me perguntaram pela continuação o que é muito lisonjeiro.  Eu comecei a escrever outra comédia cujo eu quero trabalhar por alguns anos, porém para ser honesto eu preciso de uma pausa (haha). Eu ganhei uma menina uma semana antes da estreia do filme então eu tentarei aproveitar o máximo de tempo possível com ela antes de eu trabalhar com mais filmes :)

Considerações finais?
Eu gostaria de agradecer a comunidade pela recepção do filme, fez com que 3 anos que trabalho tenham valido a pena. Eu só peço que se as pessoas gostaram do filme para compartilhar para que mais pessoas possam assistir, pois esse filme é da nossa comunidade não só meu. Nós todos somos parte da história do N64 e do legado do GoldenEye. E obrigado a você Alexandre pela ajuda.
---
Quero deixar os meus agradecimentos ao Jim por nos conceder essa entrevista! Ele é uma pessoa muito legal e talentosa.

Estamos muitos ansiosos para o lançamento do Blu-Ray e vamos avisar aqui no Blog quando tivemos mais informações sobre o mesmo.

Caso queira conferir as outras entrevistas realizadas aqui no Blog, é só clicar nos links abaixo:


Siga-nos em nossas outras redes sociais:
https://pt-br.facebook.com/n64brasil/https://goo.gl/rqRuvKhttps://www.instagram.com/n64brasil/



Compartilhar este artigo
Google ( 0 )

Comentários ( 0 )

© 2009-2016 N64 Brasil | Template: Yanku-template